TRAVESSIA LAPINHA X TABULEIRO, MINAS GERAIS

Travessia Lapinha x Tabuleiro

A Travessia Lapinha x Tabuleiro é uma beleza de trilha na Serra do Espinhaço. Você parti do vilarejo Lapinha da Serra e segue em direção à  portaria do Parque Natural Municipal do Tabuleiro. 

Geralmente esta travessia é feita em 3 dias, como a trilha que leva para a parte baixa da Cachoeira do Tabuleiro estava interditada, nós fizemos em 2 dias.


Como foi nossa Travessia Lapinha x Tabuleiro

Contratamos o guia Regi da Lapinha Expedições, que foi tropeiro na década de 80 e é apaixonado pelo que faz e pela região. Ele também providenciou a hospedagem da travessia e o traslado de volta.


Guia Regi e nós na saída para a travessia

1º dia da Travessia Lapinha x Tabuleiro

Saímos por volta das 9h da Lapinha da Serra. As primeiras horas da travessia é subida, mas é tranquilo, pois a paisagem é de uma beleza ímpar. A Lapinha vai ficando para trás, pois saimos de uma altitude de 1.100 metros e chegamos a 1.450 metros.

Travessia Lapinha x Tabuleiro
Na trilha há uma placa:
"Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja."
Chico Xavier


Travessia Lapinha x Tabuleiro
O tempo estava fresco e foi  muito bom para caminhar. Pela trilha lindíssimas flores que encantam e enfeitam a Serra do Espinhaço.

Flores na Serra do Espinhaço

Flores na Serra do Espinhaço

Flores na Serra do Espinhaço

Por volta do meio-dia paramos para um lanche em uma prainha, hora da "siesta" também. Vejam que o marido já tinha providenciado um cajado, que foi muito útil a partir deste ponto.

Travessia Lapinha x Tabuleiro

Após o almoço o tempo começou a mudar e caminhamos pelas nuvens toda tarde, uma cerração só. 

A sensação é boa, mesmo não vendo as belezuras do caminho.

Travessia Lapinha x Tabuleiro
No final da tarde chegamos na casa do Sr Chico, onde nos hospedamos para tomar banho, jantar, passar a noite e café da manhã. Fomos recebidos com cafezinho, delicioso chá de hortelã e "queijim" feito pela dona Carmem ao lado do fogão a lenha que tornou o ambiente mais caloroso.

Dona Carmem e nós

Hospedagem na Travessia Lapinha x Tabuleiro

Assim que soube que era possível fazer esta travessia e dormir na casa de um nativo, isto me animou, pois acampar e ter que carregar as tralhas (barraca, comida e outros) não me agradava. 


Casa do Sr Chico - Travessia Lapinha x Tabuleiro
Dormir na casa do Sr Chico, não deixou de ser um acampamento, pois tudo é muito, mas muito simples. Tivemos o principal: bom banho com água quente (aquecida pelo fogão a lenha), boa comida, bom sono e a simpatia do casal Sr Chico e da dona Carmem.




Até achei que seria difícil dormir, pois apareceram no quarto, aranha e formiga, mas nada que um bom inseticida não resolvesse. Confesso que entreguei para Deus, pois estava cansada e precisava dormir bem. Sempre fui cheia de "mimimi", o Caminho de Santiago de Compostela me ajudou muito a relaxar e aceitar as coisas como elas são e não como eu quero. Quer saber? Dormimos como anjos por 10 horas seguidas.

Choveu a noite toda e eu me senti grata por estar em uma cama com lençóis limpos, abrigada e quente. Imagina se estivesse acampando?


2º dia da Travessia Lapinha x Tabuleiro

Amanheceu com uma fina garoa e muita cerração. Esta foi a vista da janela do nosso quarto.



Tomamos um bom café, proseamos um pouco e caimos na estrada. Me parece que o Sr. Chico não gosta de ser fotografado.

Sr Chico, dona Carmem e nós
As primeiras horas da manhã foram bem difíceis, a trilha estava bem molhada e não conseguíamos ver nada, devido a forte cerração. 

Quando chegamos na indicação da Cachoeira do Tabuleiro, pedimos para o Universo que a cerração diminuísse, assim poderíamos ver pelo menos a cachoeira, afinal nós havíamos caminhado tanto e vindos de tão longe. E assim se fez!!!!

Travessia Lapinha x Tabuleiro
Ficamos numa alegria só, de poder contemplar tanta boniteza (o guia falava muito esta palavra).

Travessia Lapinha x Tabuleiro

Como havia chovido a noite toda, ficou bem difícil atravessar (este lugarzinho aí abaixo), o volume de água era forte. Euzinha fiquei com muito medo da correnteza. O guia estudou bem a situação e nos conduziu com segurança.

Travessia Lapinha x Tabuleiro
Um pouco mais de caminhada e logo avistamos a maravilhosa Cachoeira do Tabuleiro. Por aí ficamos por um tempo, admirando e agradecidos.

A Cachoeira do Tabuleiro tem 273 metros de queda livre, é a mais alta de Minas Gerais e a terceira do Brasil. 

Cachoeira do Tabuleiro



Deste ponto para a portaria do Parque, não foi nada fácil. Muita subida, mas muita mesmo!!! 

Próximo à portaria tem um mirante com esta vista da Cachoeira do Tabuleiro. 


Quando chegamos na entrada do parque, não havia mais ninguém na portaria. Há banheiros novos e limpos.

Fazer a travessia foi fácil, o difícil foi retornar para Lapinha, são aproximadamente 3 horas de carro.

O motorista já estava nos aguardando e não imaginávamos que seria tão sofrido fazer esta viagem. O condutor corria muito e dirigia de forma irresponsável. Havia muita cerração e ele continuou correndo e freando bruscamente. Pedimos para diminuir a velocidade e não fomos atendidos. Nunca rezamos tanto!!!!!! 

Nosso guia na Travessia Lapinha x Tabuleiro


O Regi da Lapinha Expedições nos guiou de forma competente e nos deixou bem à vontade. Assim que entramos em contato por WhatsApp, para saber sobre a trilha, ele nos respondeu prontamente.

Ele gosta muito de guiar, tem orgulho da sua família e nos contou algumas histórias:

Que na época do seu avó, as famílias plantavam cebola e ninguém tinha dinheiro. O avó arrecadava as cebolas do vilarejo, colocava na mula e fazia a travessia de 48 km em um dia. Lá ele picava "trocava por mercadorias". Por exemplo: 1 kg de cebola trocava por 1 lata de óleo e por aí vai. A mula voltava carregada de mantimentos que eram distribuídos para todos. O avó do Regi era um homem muito bom que ajudava a comunidade e não cobrava nada por isto. É  emocionante ouvir ele falar do avó!

Seguindo os passos do avó, o Regi e o irmão  iam com o tio nesta trilha para levar carne de porco para Conceição do Mato Dentro. Saiam às 17h30, caminhavam pela noite toda, pois era mais fresco e não derretia o toucinho. Depois de um tempo, ele com 9 anos e o irmão menor seguiam sozinhos, fazendo este trabalho. Seus pais já haviam falecido. O Regi é muito grato ao tio que os ensinou a trabalhar e ter respeito pelas pessoas.


Calçado ideal para Travessia Lapinha x Tabuleiro


A bota impermeável foi fundamental nesta travessia, pois cruzamos alguns riachos. Na trilha há muitas pedras e a bota protege o tornozelo.

Travessia Lapinha x Tabuleiro

Como chegar na Lapinha da Serra


Carro
Nós fomos de avião até Confins e  alugamos um carro na Movida. A estrada está ótima. Do aeroporto seguimos sentido Lagoa Santa, na direção da Serra do Cipó. Chegando na Serra do Cipó, após passar o hotel Cipó Veraneio (tem uma ponte que só passa um carro), há uma rotatória, entrar à esquerda sentido Santana do Riacho. São 28 km de asfalto. A partir daí tem mais 12 km de estrada de terra (que estão em boas condições) para Lapinha da Serra.

Ônibus
Tem ônibus da Rodoviária de Belo Horizonte para Santana do Riacho e daí para Lapinha da Serra, mas não tem todos os dias. 
Informações aqui


A travessia termina no Tabuleiro, distrito de Conceição do Mato Dentro. Optamos por voltar de carro e contratamos um traslado direto com o guia.

Custo Travessia Lapinha da Serra x Tabuleiro

O ideal é sair em grupo, pois fica muito mais barato. 

guia => R$ 200,00 por dia
hospedagem => 180,00 casal com jantar e café da manhã
traslado => R$ 350,00





2 comentários

  1. Amo ler sobre essas viagens que vocês fazem. Lugarejos lindos,travessias lindas,povo encantador. Que viagem gostosa !

    ResponderExcluir
  2. PARABÉNS CRIANÇAS,ISSO QUE CHAMO DE APROVEITAR A VIDA,CONTINUEM ASSIM,CASAL ABENÇOADO POR DEUS,QUE JEJUS OS PROTEJAM EM TODAS AS SUAS VIAGENS

    ResponderExcluir