FINAL DE SEMANA EM CUNHA, SÃO PAULO



É uma estância climática e região de preservação ambiental, está situada entre as Reservas Federal da Bocaina e a Estadual do Parque Cunha-Indaiá. Fica 217 km de São Paulo.

Há muitos anos voltando de Paraty pela estreita e perigosa estrada que leva a Cunha,  chegamos a esta região e achamos linda. Cunha passou para a relação dos lugares que pretendíamos conhecer.


Com alguns meses de antecedência, reservamos a pousada para um final de semana do mês de novembro. Desta vez meus cunhados foram juntos (Eduardo e Luciana). Saímos de São Paulo debaixo de chuva e chegamos a Cunha com um tempo nublado e prometendo muita chuva também.

Como é distante de São Paulo, saímos na sexta feira de manhã, paramos no centro da cidade para conhecer. Não há charme algum. Tomamos café na Doceria da Cidinha, que é um lugar simpático e serve um bom café. Passamos no Escritório de Turismo para obtermos algumas informações e o atendimento foi muito bom. O almoço foi no restaurante Melhor Hora, que fica em um bairro bonito. A comida é boa e caseira. É neste bairro que ficam a maioria das lojas de cerâmicas.



Re, Eduardo e Luciana na porta da Doceria Cidinha

Após o almoço,  fomos para a Pousada Quinta da Serra que fica aproximadamente 10 km da cidade, a estrada é tranquila e com uma paisagem esplêndida. É só pedir passagem ao gado e aguardar.


Caminho para pousada

A  pousada fica na estrada do Caminho Real que vai de Diamantina (MG) a Paraty (RJ) por onde era levado o ouro.

Estrada Real - Cunha

A vista da pousada é maravilhosa, além de ser um charme é lugar ideal para namorar. Fomos recepcionados pela Lana (proprietária), que nos passou todas as informações prontamente. No chalé havia bombons e um cartão dos proprietários desejando “um ótimo final de semana”, são  estes pequenos mimos que fazem a diferença.

Vista do chalé Pousada Quinta da Serra

Pousada Quinda da Serra
Mesmo debaixo de uma fina garoa, decidimos conhecer a Cachoeira da Pimenta que é bem próxima a pousada.

Cachoeira da Pimenta  - Cunha-SP

Geralmente quando viajamos para lugares mais frios, levamos vinhos e queijos. Como o tempo estava chuvoso, decidimos ficar a noite no chalé proseando, bebericando e comendo com a lareira nos aquecendo.  

Tínhamos esquecido de levar os queijos, então fomos a um sítio próximo que vende queijo de búfala. Conhecemos o sítio,  mas não havia queijo para vender então fomos a cidade e lá compramos queijos e abastecemos o carro.


Filhotes de búfalos

No caminho para cidade, vimos muitos urubus e ai avistamos uma mula caída na encosta e ficamos aflitos. De repente a mula começou a mexer a cabeça. Fomos até um sítio próximo para ver se alguém poderia ajudar o pobre animal, o Sr que nos atendeu disse que a mula era dele e que depois iria ver o que aconteceu. Meu marido se ofereceu para ajudar, mas ele disse que não precisava. 

Quando voltamos da cidade a mula já estava sentada, como que se recuperando de um porre!!!!! A região é tão montanhosa e tem tantas vacas pastando que imaginamos uma vaca caindo encima de algum carro. Lembramos do filme “Um Conto Chinês”.

O sábado amanheceu nublado, mas sem chuva, tomamos um saboroso café da manhã e fomos subir à Pedra da Macela, este é o nome correto. Há algumas placas na estrada com a indicação Pedra Marcela. 

Pousada Quinta da Serra


Pousada Quinta da Serra

Em Cunha é preciso estar de carro, pois nada é perto. O caminho até a subida da pedra é bem bonito. 


Caminho para subida à Pedra Macela - Cunha-SP


Caminho para subida à Pedra Macela - Cunha-SP


Paramos o carro na base da montanha. São 2 km de subida em uma pista de cimento  mas que escorrega, portanto é preciso muito cuidado e um calçado adequado. O tempo estava nublado e quando chegamos ao topo as nuvens vieram conosco. Mesmo assim é muito lindo, é uma imensidão. 

Em alguns momentos vimos o mar.  Da Pedra é possível avistar Parati, a Baia da Ilha Grande e Angra dos Reis. Vale a pena este passeio. Não deixe de levar água.


Subida à Pedra Macela - Cunha-SP

Subida à Pedra Macela - Cunha-SP

Subida à Pedra Macela - Cunha-SP

Topo Pedra da Macela - Cunha-SP

Na volta visitamos a Cervejaria Wolkenburg onde é possível degustar e comprar cervejas artesanais. Para quem gosta de cerveja não pode deixar de conhecer.


Cervejaria Wolkenburg  - Cunha-SP
O melhor estava para acontecer, paramos no Restaurante Villa Favorita (SP 171 para Parati Km 65,2 Fone 12 9773-8688), onde saboreamos uma massa divina, bem como uma sobremesa “dos deuses”. 

Se estiver na região, não deixe de ir a este restaurante. Fomos atendidos pelo simpático Ernani, dono e chef do restaurante. Foi um almoço muito agradável.


Restaurante Villa Favorita - Cunha-SP




Antes de retornar para a pousada, decidimos passar na cidade, pois  iria acontecer uma homenagem a um  ilustre violeiro da região. Assistimos algumas apresentações. Foi bem interessante, folclórico e divertido.



Igreja Matriz - Cunha-SP
Violeiros - Cunha-SP


Apresentação de Congada - Cunha-SP
Adicionar legenda





Depois de um dia intenso, jantamos na pousada.


Pousada Quinta da Serra - Cunha-SP
No domingo, acordamos com um sol maravilhoso, mas era hora de voltar para casa. No caminho, paramos para conhecer a Cachoeira do Desterro, que não vale a pena. 


Próximo a Cachoeira do Desterro Cunha-SP
Na saída de Cunha há o Café Capril. É um lugar charmoso onde você pode tomar um cafezinho, comprar queijos de cabra e ainda ver as cabras. Vale a parada.


Café Capril - Cunha - SP


Paramos para almoçar em Taubaté no Bairro  Quiririm, quando estamos viajando por esta região sempre paramos para almoçar por ai. Desta vez minha cunhada sugeriu a Cantina Gadioli. É um enorme restaurante, barulhento e super familiar. Pedimos um bife a parmegiana que estava delicioso, o atendimento é excelente e o serviço é rápido.








Nenhum comentário