ÚLTIMO DIA DO NOSSO CAMINHO DE SANTIAGO - 32 dia


Nascer do sol no Caminho a Santiago de Compostela

32o dia - De Pedrouzo até Santiago de Compostela - 20 Km

Madrugamos, pois queríamos chegar a Santiago de Compostela para assistir à missa do meio-dia.


Caminhamos muito no escuro pelos bosques. Santas lanternas, santas flechas amarelas que nos levaram a Santiago.

Tivemos a alegria de ter a companhia da lua que estava incrivelmente cheia e amarela. Chorei muito! Lindo demais!

E o sol aos poucos foi surgindo com uma beleza de encher os olhos de lágrimas. Como foi dura esta despedida do Caminho, estes últimos momentos.

Chegamos ao Monte do Gozo, tão perto de Santiago. E quem disse que nós queríamos chegar *r*



Monte do Gozo - Momumento em homenagem a visita do Papa João Paulo II


Me emocionei diversas vezes nestes mais de 750 Km, desejando chegar a Santiago e quando me vi tão perto, um confuso sentimento tomou conta de mim.

Entrando em Santiago de Compostela

Seguimos a passos firmes e às 11 h chegamos a Santiago. Encontramos alguns conhecidos do Caminho que com alegria nos parabenizaram. Na verdade ficamos atordoados com o grande movimento de turistas e peregrinos. Foi um pouco confuso, era domingo, muita gente. Chegamos e aí?

Chegada a Santiago de Compostela

Uma sensação de conforto aparecia quando encontrávamos alguns dos amigos do Caminho. Uma felicidade imensa nos atingia pelo sucesso de todos!!!!

Registramos o momento de nossa chegada e corremos para a hospedagem que havíamos reservado. Queríamos deixar as mochilas e ir à missa. Não é permitido entrar na Catedral com as mochilas e os cajados.

Ao chegarmos na Hospedaje  Ramos (Rúa da Raiña,18), encontramos o amigo Romeu que para nossa surpresa também estava hospedado lá. Nos apresentou outros peregrinos o brasileiro Mário e o uruguaio brasileiro Hermes.Corremos para missa.

Hospedaje Ramos - 39 Euros diária casal
A Catedral estava lotada, conseguimos um cantinho e lá tivemos a graça de participar da linda missa. Como peregrinos, fomos homenageados e com muita emoção e gratidão elevamos o pensamento ao Pai agradecendo por tantas bençãos.

Missa dos Peregrinos
O botafumeiro é um enorme incensário que com a ajuda de alguns religiosos, balança de um lado ao   outro da Catedral deixando um agradável perfume. Não é sempre que ele é utilizado, depende de contribuições financeiras. Nossa chegada coincidiu com a visita do representante da realeza portuguesa, Don Duarte Pio de Bragança, assim, essa missa foi solene.

A celebração é linda e aí a ficha vai caindo, um filme vai passando como se fosse uma retrospectiva do Caminho. É muita emoção!

Botafumeiro Catedral de Santiago
Neste mesmo dia à tarde, o Mario (peregrino brasileiro) iria  à Fisterra e como havia dois lugares no carro, ele sugeriu ao Romeu que nos convidasse. Romeu  entrou na Catedral, nos encontrou e fez o convite. Assim seguimos para Fisterra para ver o pôr do sol. Fomos muito abençoados!

Por lindas estradas rurais, pois o gps nos fez dar muitas voltas*r*, passamos antes por Muxía e depois Fisterra.

Muxía

Fisterra - Os Celtas e povos medievais acreditavam que aí era o fim do mundo,  muitos peregrinos caminham até Fisterra para completar sua jornada e se despojar de seus últimos pertences como forma de desapego. Nós fomos de carro. Vale a pena conhecer, é encantador.

Fisterra

Chegamos em Fisterra e ficamos admirando o pôr do sol, cada um com suas orações, seus agradecimentos, não era preciso falar, só contemplar. Estou agora em minha casa, escrevendo e muito emocionada . Só quem faz o Caminho, pode entender este sentimento.

Para finalizar fomos presenteados: enquanto o sol se despedia de um lado da península, a lua cheia surgia radiante no mesmo instante do lado oposto. Jamais esqueceremos esta cena. Muita gratidão!

O sol se despedindo de um lado
A lua surgindo do outro
Amigos queridos, falta o Hermes nesta foto.

Passamos mais um dia em Santiago para poder visitar a cidade e ficar um pouco com os queridos amigos.

Frente da Catedral em reforma
Santiago de Compostela
Estas lindas moram no nosso coraçao.
Turma querida
Nossa despedida de Santiago

Quando compramos as passagens, pensamos no retorno por Lisboa para poder viajar um pouco por Portugal. Depois do Caminho, você precisa de um tempo para voltar. Passear, ser turista, estar com muitas pessoas, é muito estranho. É um momento que você precisa digerir muitas vivências e reflexões.

O Caminho nos ensinou a compartilhar coisas e sentimentos.
Nos mostrou como estamos ligados uns aos outros e para isso basta estarmos abertos e benevolentes com nossos semelhantes, mas sobretudo com nós mesmos!
Não nos sentimos desamparados em nenhum momento, mesmo nas situações mais extremas, que para nós, foram poucas, mas tivemos.
O Caminho nos ajudou a entender melhor e aumentar nossa crença de que entre nós e Deus está o próximo e precisamos aprender a nos amar e respeitar para estarmos em condições de amar ao outro como a nós mesmos.

"... Aunque hubiera visto todos los monumentos y contemplado las mejores puestas de sol;

Aunque hubiera aprendido un saludo en cada idioma o probado el agua limpia de todas las fuentes, si no he descubierto quién es autor de tanta belleza gratuita y de tanta paz no he llegado a ningún sitio..."
Frey Dino - Franciscanos de Santiago

Nenhum comentário