3 DIAS EM ILHABELA

Praia do Jabaquara


Gostamos muito da Ilhabela, mas não visitamos com frequência.

Desta vez fomos convidados para conhecer uma hospedagem e aproveitamos para visitar um lado da ilha que não conhecíamos.









Como chegar em Ilhabela



Da cidade de São Paulo levamos 3 horas até São Sebastião pela Rodovia dos Tamoios.
Nota: Viajamos na quinta-feira.

Se tem algo que me incomoda são os pedágios, um atrás do outro. Ida e volta - R$ 39,20.

Pela primeira vez tivemos que aguardar quase 2 horas para fazer a travessia da balsa.
Ida e volta - R$ 25,30.

Realmente é bem desgastante, ainda mais com o calor que estava.  Depois ficamos sabendo que os funcionários estavam em operação tartaruga devido a problemas com pagamento de salário.

Fila da balsa

Em finais de semana, férias, feriados, vale a pena reservar um horário para fazer a travessia no site da Dersa.



Hospedagem em Ilhabela



Ficamos na Casa 658, que é uma hospedagem localizada no Morro de Santa Tereza. Os proprietários alugam pelo Airbnb duas charmosas suítes. Nós gostamos muito!
Veja  aqui.


Nossos dias em Ilhabela


1o. dia - quinta-feira

Saímos de São Paulo às 7 h e cruzamos bem a cidade. As estradas estavam tranquilas. Na Rodovia dos Tamoios paramos na Fazenda da Comadre para um lanchinho: pão com linguiça às 9h da manhã. Confesso que estava uma delícia!

Essa paradinha foi providencial, pois em virtude espera para entrar na balsa, acabamos chegando na hospedagem por volta das 13h.

Casa 658


Este perrengue foi compensado quando vimos a linda vista do nosso quarto!

Vista de nosso quarto na Casa 658


O almoço foi no Restaurante Cheiro Verde, que fica na Vila (parte histórica da Ilhabela). A comida é simples, bem saborosa e barata. Pedimos um prato que foi ótimo para nós dois.

Caminhamos um pouco pela Vila e pela praia, mas o tempo mudou e seguimos para nosso charmoso quarto para descansar.


Pier na Vila


Praia de Santa Tereza


Estava acontecendo na Vila o Festival de Jazz e pretendíamos ir à noite. Choveu muito, estávamos cansados, tínhamos nosso kit que levamos sempre: queijos, salame, frutas secas e vinho. Com aquela vista! Quem disse que queríamos sair?

Casa 658


2o. dia - sexta-feira

O dia amanheceu lindo! E esta foi a vista que tivemos da cama.

Casa 658


Tomamos um caprichado café da manhã preparado pelos proprietários da Casa 658.

Casa 658


Tínhamos a intenção de fazer uma trilha, mas decidimos visitar as praias que ainda não conhecíamos.

Praia Barreiros

Praia da Siriúba


Da Praia da Siriúba seguimos para a Praia do Jabaquara. Da estrada você avista a linda praia.

Para conhecer a Praia do Jabaquara, você é obrigado a pagar R$ 10,00 para estacionar o carro cujo acesso é por uma propriedade particular. No caminho você atravessa um riozinho.

Caminho para Praia do Jabaquara


Não esqueça de passar muito repelente, pois o que passamos não adiantou nada. Saímos bem picados, sorte que não somos alérgicos e quer saber, desta vez não coçou nada.

A praia é bem bonita, vale a pena conhecer, mas o restaurante é muito caro, portanto não almoçamos por lá.


Praia do Jabaquara

Rio que desemboca na Praia do Jabaquara


Da Praia do Jabaquara para a Vila paramos na Praia Pacuíba que é linda também, mas os borrachudos estavam com tudo.


Praia Pacuíba

O almoço foi no Restaurante Manjericão, que é do mesmo dono do Cheiro Verde, porém é mais charmoso. O espaguete com lulas estava uma delícia.


Restaurante Manjericâo

Nesta noite choveu menos e fomos no Jazz Festival que acontece na Vila em um espaço coberto, com mesas e cadeiras. Gostamos!

Jazz Festival



3o. dia - sábado


Hora de voltar para casa. A ideia era caminhar pela manhã e depois pegar estrada.


Tomamos o delicioso café da manhã e engatamos um agradável papo com os proprietários da hospedagem e quando percebemos já havia passado das 10 h, mesmo assim caminhamos um pouco e logo depois partimos.

A travessia da balsa foi tranquila, o dia estava muito lindo e seguimos agradecendo por mais esta gostosa experiência.



Veja outra viagem que fizemos para a Ilhabela em dezembro de 2013.





Um comentário